15/09/2021 às 15h27min - Atualizada em 21/09/2021 às 16h00min

Agência internacional de avaliação de risco eleva classificação do Banco Mercantil do Brasil

Rating foi elevado, em dois graus, para 'brA', o que reflete a melhora na qualidade de ativos e perspectiva estável da instituição financeira

SALA DA NOTÍCIA Interface Comunicação

Agência internacional de avaliação de risco eleva classificação do Banco Mercantil do Brasil

Rating foi elevado, em dois graus, para 'brA', o que reflete a melhora na qualidade de ativos e perspectiva estável da instituição financeira

A agência de avaliação de risco S&P Global Ratings (S&P) elevou, na Escala Nacional Brasil, o rating de crédito de emissor de longo prazo atribuído ao Banco Mercantil do Brasil S.A. (BMB) em dois graus, de 'brBBB+' para 'brA'. A perspectiva do rating é estável e reflete a visão de que os fatores de crédito do banco devem permanecer inalterados nos próximos 12 meses.

A nova classificação é consequência de diversas medidas adotadas para dar continuidade à estratégia de crescimento do banco e reflete a capacidade de impulsionamento do desempenho financeiro da instituição, em conjunto com melhora das métricas de qualidade de ativos. Entre elas, a reformulação das operações, visando a reduzir o risco de crédito e focar a concessão de empréstimos consignados a pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e a pessoas de 50 anos ou mais, o que possibilitou ao BMB estabilizar receitas e margens.

Nossa meta é seguir desenvolvendo estratégias que elevem o banco a novos patamares em termos de perfil financeiro. Acreditamos que o BMB deverá manter índices de liquidez e capital regulatório confortavelmente acima do exigido no próximo ano”, comenta Paulino Rodrigues, Diretor Executivo de Finanças e Relações com Investidores da instituição.

Elevados investimentos em tecnologia e inovação, ampliação dos canais de atendimento, lançamento de assistentes virtuais e aprimoramento dos canais digitais também contribuíram para a melhor performance do banco. Além disso, o BMB melhorou o perfil de risco do portfólio, com diminuição das perdas de crédito e redução expressiva dos empréstimos problemáticos.

O desempenho financeiro do BMB em 2021 foi mais forte que a média histórica. O crescimento das operações de crédito do banco saltou para 45% em junho de 2021, comparado a junho de 2020, o que reflete principalmente o aumento de 107% nos empréstimos para o segmento de crédito consignado. O crescimento observado em 2021 indica também a boa execução da estratégia de foco em empréstimos com desconto em folha de pagamento e a diversificação de receitas pelas vendas cruzadas de produtos a beneficiários do INSS.

Segundo o relatório da S&P, o lucro líquido do banco atingiu R$ 101 milhões em junho de 2021, 37% superior ao registrado no primeiro semestre de 2020, enquanto o índice de retorno sobre patrimônio líquido (ROE) subiu para 19,5%, ante 16% um ano antes. As perdas de crédito diminuíram nos últimos anos, graças a uma mudança no perfil de clientes.

Ainda segundo o relatório, em relação à carteira de PMEs e às métricas de qualidade de ativos, o BMB reformulou suas operações, mudando o foco para o segmento de pessoa física, especificamente clientes acima de 50 anos de idade e pessoas que recebem benefícios de aposentadoria. Dessa forma, o banco reduziu para 13% a participação das operações de PMEs no portfólio, ante 30% em 2018, enquanto foca o crédito a pessoas físicas, que têm respondido por uma parcela cada vez maior das receitas nos últimos anos. Dadas essas mudanças, os non-performing loans (NPLs) declinaram para 3,95%, versus 7,85% um ano antes, provocando uma redução de 12% nas despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa. O banco continua promovendo iniciativas para diversificação das fontes de receitas, como investimentos no negócio de cartões de crédito e corretagem de seguros. De acordo com Rodrigues, o BMB tem mantido uma abordagem prudente com relação à liquidez na pandemia. Em junho de 2021, seus ativos líquidos ampliados equivaliam a R$ 2,7 bilhões, suficientes para cobrir suas obrigações de atacado de curto prazo, que somavam R$ 658 milhões, em 4,2 vezes.

Mercantil do Brasil

O Banco Mercantil do Brasil vem passando por uma importante transformação nos últimos anos, pautada no investimento em inovação, dados, tecnologia e pessoas. Contando com mais de 3,2 milhões de clientes ativos, 75% dos quais são pessoas físicas com 50 anos ou mais, o banco mineiro carrega em seu DNA o propósito de oferecer a seus clientes uma experiência única. Não é à toa que o banco foi eleito em 2021 a Empresa do Ano no Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente e atingiu o patamar de Excelência na pesquisa NPS (Net Promoter Score), que fornece informações sobre fidelidade dos clientes e grau de satisfação com produtos e serviços, apurada de forma contínua.

Sustentado por seus talentos, o crescimento dos números vem acompanhado de posições de destaque nos rankings de melhor empresa para se trabalhar, tendo o banco sido premiado entre os três primeiros colocados nos últimos quatro anos no GPTW em Minas Gerais.


 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Como você avalia nosso conteúdo?

56.2%
25.0%
10.7%
8.0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp