14/09/2022 às 17h05min - Atualizada em 15/09/2022 às 02h32min

Sabatina do Fisco continua com candidatos ao governo e senado

Major Vitor Hugo, candidato a governador de PL, e Vilmar Rocha, candidato ao Senado pelo PSD, participaram nesta semana do “Conversa com o Candidato”, bate-papo promovido pelo Sindifisco-GO

SALA DA NOTÍCIA Kasane Comunicação Corporativa
Candidato ao governo de Goiás, Major Vitor Hugo (PL)
Após receber algumas demandas dos Auditores-Fiscais da Receita Estadual de Goiás, candidatos participam de um bate-papo e firmam importantes compromissos com a categoria. Os convidados desta semana foram Major Vitor Hugo, candidato ao governo de Goiás pelo PL, e Vilmar Rocha, candidato ao Senado pelo PSD. Ambos estiveram na sede da Associação dos Auditores de Tributos do Fisco Municipal de Goiânia (Affim) em encontro transmitido ao vivo no canal do Youtube do Sindifisco-GO.

Em sua entrevista, o candidato Major Vitor Hugo demonstrou a experiência como parlamentar e disse que decidiu ser candidato ao governo de Goiás para suprir a falta que, segundo ele, existia no Estado de lideranças que detinham relação próxima ao presidente Jair Bolsonaro (PL). “Eu olho para Goiás e vejo tantas potencialidades que não são aproveitadas”, comenta. Ele afirma que o Estado admitiu que estava em dificuldades e acabou aderindo ao Plano de Recuperação Fiscal. "A atual gestão separou R$ 225 milhões do dinheiro da recuperação fiscal para propaganda de governo, quando tinha tanto a ser feito. Quero renegociar o regime atual”, conclui. 

Sobre a Lei Complementar 194, que limitou alíquotas de produtos como combustíveis, energia elétrica e telefonia, o Major Vitor Hugo ressalta que, como parlamentar, votou a favor do projeto tendo em vista a perspectiva do cidadão. De acordo com ele, o estado terá uma compensação que foi planejada e que está em execução. “Queremos manter essa alíquota de ICMS baixa e queremos estar ao lado do presidente para pedir que a União continue ajudando os estados”, explica ele.  O candidato diz ser favorável aos incentivos ficais para atrair indústria, e que se houver uma eventual Reforma Tributária na União,  vai espelhar em Goiás, simplificando e reduzindo os impostos ao máximo.

O candidato do PL ao governo afirma ser favorável à Reforma Administrativa, desde que as carreiras típicas de estado sejam preservadas e tenham estabilidade. “Eu influenciei diretamente, inclusive fiz batalhas lá para que o relator discriminasse quais as carreiras identificadas como típicas de estado”, explica. “Sobre a proposta de autonomia da Receita Estadual, me parece coerente”, comenta o candidato. Ele afirma que terá um governo técnico, com muito diálogo e valorizando os servidores que se destacarem em suas funções. 

Primeiro bate-papo do Fisco com candidato ao Senado
Vilmar Rocha, candidato ao Senado pelo PSD, participou da sabatina acompanhado do candidato à primeira suplência, o ex-deputado Simeyzon Silveira. Em relação à edição da Lei Orgânica da Administração Tributária (LOAT), ele diz não conhecer a fundo os contornos do projeto, mas afirma ser simpático à ideia de autonomia do Fisco. “Me comprometo a ouvir sobre esta questão para vermos o que é mais a favor do interesse público. Faço este compromisso. Defendo para o Fisco uma carreira de estado, com quadros profissionais bem remunerados e com um sistema de controle e fiscalização efetivo”, ressalta o candidato.

Sobre a Lei Complementar 194/22 que determinou a aplicação de alíquotas de ICMS pelo piso para produtos e serviços essenciais como combustíveis, energia elétrica e comunicações, ele lembrou que este é o principal imposto estadual e não se deve alterar a capacidade das unidades federativas de legislar sobre seu principal tributo. “Deveria se propor uma ação direta de inconstitucionalidade para se esclarecer se ela atinge ou não a autonomia dos estados”, conclui.

Ele disse ser a favor da reforma tributária, porém, depois que for realizada uma reforma administrativa. E disse que a principal pauta que o País precisa priorizar é a implementação de uma política forte de reindustrialização. Na concepção do candidato, um caminho para que os Estados voltem a se industrializar seria a aplicação criteriosa de incentivos fiscais e desoneração tributária.

Sabatina do Fisco
O “Conversa com o Candidato” é promovido pelo Sindicato dos Auditores Fiscais do Estado de Goiás (Sindifisco-GO) e está, neste ano de 2022, em sua segunda edição. “O propósito deste bate-papo com os candidatos é abrir espaço para um debate de qualidade, focado não apenas no eleitor do fisco, mas como uma contribuição para a sociedade goiana. Mais uma oportunidade para que possamos questionar e conhecer de fato o comportamento, a visão e os planos de cada um dos deles, sem colocar nenhum em evidência”, diz Paulo Sérgio Carmo, presidente do Sindifisco-GO.
Notícias Relacionadas »
Comentários »