15/08/2022 às 19h25min - Atualizada em 16/08/2022 às 00h01min

Estudo inédito sobre novas comunidades católicas é tema de livro a ser lançado em SP

Escrita pelo conferencista e formador Laércio Alves, a obra “Novas Comunidades: De São João Paulo II e Bento XVI ao Papa Francisco” será lançada no dia 26 de agosto, às 18h, na Faculdade Santa Marcelina

SALA DA NOTÍCIA Mariana Mascarenhas
Um mergulho profundo na história da Igreja Católica, de modo especial a partir do pontificado de São João Paulo II até os dias atuais, com destaque especial para o surgimento de novas comunidades que se caracterizam pela junção de sacerdotes e leigos em prol da evangelização ou da promoção da dignidade humana. Esse é o foco da obra Novas Comunidades: De São João Paulo II e Bento XVI ao Papa Francisco, da Editora Passio Domini, a ser lançada no dia 26 de agosto de 2022, a partir das 18h, na Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, pelo pregador, conferencista e formador Laércio Alves, fundador da Comunidade Católica Discipuli Domini. “Essas novas comunidades baseiam-se em novas inspirações adaptadas dos institutos de Vida Consagrada da Igreja Católica”, explica o autor.
 
O livro é fruto de um trabalho de dez anos de pesquisa que se inicia com um percurso histórico, a partir do nascimento das primeiras comunidades cristãs relatadas no livro dos Atos dos Apóstolos, e que perpassa as quatro grandes ondas evangelizadoras:
 
“A primeira se deu com a expansão do cristianismo nos primeiros três séculos até a véspera do Edito de Constantino, cujos protagonistas, em primeiro lugar, eram os profetas itinerantes, os bispos, nascendo, a partir daí, o monaquismo nos séculos III e IV. A segunda grande onda ocorreu nos séculos VI a IX, com a reevangelização da Europa após as invasões bárbaras, especialmente pela obra dos monges (bem como no movimento mendicante no século XIII)”, descreve Alves.
 
Já a terceira grande onda surge, segundo o autor, a partir dos séculos XV e XVI, com as congregações missionárias, quando se dá não só a descoberta do Novo Mundo, como também a conversão ao cristianismo daqueles que aqui habitavam. Temos também, de modo especial, a obra dos frades nas congregações voltadas para a caridade nos séculos XVII e XVIII e nos institutos seculares nos séculos XIX e XX.
 
Por fim, a quarta grande onda ocorre no período do Concílio Vaticano II, de 1962 a 1965, com o nascimento das “novas formas de vida evangélica”, entre elas, os movimentos e as novas comunidades eclesiais oriundas da chamada Renovação Carismática Católica (RCC). Composta de homens e mulheres, clérigos e leigos, inclusive casais. Tais comunidades começaram a surgir na década de 1970 na França e nos EUA, tornando-se um fenômeno mundial; no Brasil, surgem nas décadas de 1980 e 1990.
 
“O Concílio pede uma Igreja inserida no mundo, capaz de atraí-lo para Cristo e dar respostas aos desafios de seu tempo. O Papa São João Paulo II, na vigília de Pentecostes de 1998, chamou os movimentos e as novas comunidades eclesiais de ‘providencial resposta do Espírito’. Isso porque leigos se consagram a Deus a partir de um carisma e, sob o dom e a radicalidade desse carisma, vivem seu Batismo de forma autêntica em um mundo dilacerado pelo secularismo”, detalha o pregador.
 
Assim, por meio de sua obra, Alves vem apresentar essas novas fundações não apenas com o intuito de informar os leitores, mas também oferecer uma formação sólida e aprofundada a respeito do tema. Para isso, no primeiro capítulo, o autor apresenta as fundamentações teológicas dos novos movimentos e comunidades à luz das palavras de São João Paulo II e Bento XVI. No segundo, o leitor percorrerá o caminho de formação dos discípulos missionários, com base no documento da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe (CELAM), realizado em Aparecida, em maio de 2007. Em seguida, no terceiro capítulo, Alves apresenta as características comunitárias, formativas e missionárias das novas fundações, também baseado no documento do CELAM. Por último, no quarto capítulo, o autor aborda as orientações do Papa Francisco aos movimentos eclesiais e novas comunidades.
 
”Ao visitar comunidades católicas em diversas regiões do Brasil, eu percebi a falta de uma bibliografia que pudesse contribuir com a formação dos irmãos consagrados, pertencentes a essas novas fundações. Assim, eu me dediquei a um extenso trabalho de pesquisa em livros e documentos da Igreja para a produção de minha obra, que pudesse atender a essa formação”, afirma o fundador da Comunidade Discipuli Domini.
 
O livro é prefaciado pelo Prof. Dr. Felipe Aquino, apologista católico que destaca a relevância do tema, ao destacar, nesses movimentos e comunidades de Vida e Aliança, um dos frutos mais relevantes da RCC. “Não há como negar que, nos moldes das comunidades primitivas da Igreja, renova-se, nas Novas Comunidade e Movimentos, a comunhão fraterna, a caridade, a oração fecunda e a atenção e a obediência ao ensinamento dos Apóstolos”, ressalta o professor.
 
De guardador de carros a teólogo e escritor
 
Nascido na cidade de Tupâssi, no Paraná, Laércio Alves veio para São Paulo aos seis anos de idade, juntamente com sua mãe Leonor Cândido Alves, o pai, já falecido, Otaniel Maurício Alves, e o irmão Lázaro Alves, com sete anos na época. As dificuldades enfrentadas pela família fizeram com que o autor de Novas Comunidades começasse a trabalhar cedo como guardador de carros, próximo ao hospital Santa Marcelina, na zona lesta de São Paulo, para contribuir com o sustento da casa.
 
Com o dinheiro entrando no bolso, no entanto, Laércio começou a usá-lo para benefício próprio até que, um dia, ele conheceu as Irmãs Religiosas da Congregação Santa Marcelina que o incentivaram a seguir seus estudos. Por intermédio delas, Alves também foi catequizado, crismado e, algum tempo depois, após ter lidado com alguns problemas pessoais, integrou a primeira turma da graduação de Marketing e Administração de Empresas da Faculdade Santa Marcelina, em 2004.  Dois anos depois, em 2006, Alves começa a cursar Filosofia e Teologia na PUC, cujo trabalho de conclusão foi a inspiração para seu livro. Além disso, fundou a comunidade Discipuli Domini. Casado com Elaine Teixeira, pai de Matheus e Isabela (filha do coração), Alves também atua há mais de 20 anos como representante de vendas e se orgulha de toda a trajetória construída.
 
Para saber mais sobre o autor, acesse: instabio.cc/laerciodiscipuli
 
Serviço:
 
Lançamento da obra Novas Comunidades: De São João Paulo II e Bento XVI ao Papa Francisco
 
Quando: 26 de agosto, a partir das 18h
 
Onde: Faculdade Santa Marcelina (Auditório São José): Rua Cachoeira Utupanema, 40, Itaquera, São Paulo (SP)
 
Confirmar presença pelo (11) 99404-8026 ou pelo link
 
Vagas limitadas!

Notícias Relacionadas »
Comentários »