24/03/2022 às 13h09min - Atualizada em 25/03/2022 às 00h00min

Arte e tecnologia: bolas personalizadas e ação de NFT marcam participação da Penalty no Jogo das Estrelas

Nesta temporada do evento, além de apresentar duas versões inéditas da Crossover Pro 7.8, marca teve, pela primeira vez, o naming rights do Torneio de Enterradas

SALA DA NOTÍCIA Trama Comunicação
Divulgação
São Paulo, março de 2022 – Sempre em busca de iniciativas que vão ao encontro de seus propósitos institucionais de ir além do desenvolvimento de produtos com excelência em qualidade e tecnologia ― e ser a grande incentivadora do esporte brasileiro ―, a Penalty entrou em quadra no Jogo das Estrelas 2022 com duas versões inéditas da Crossover Pro 7.8 e com o naming rights do Torneio de Enterradas.

A competição, nomeada de Enterradas Penalty, aconteceu na última sexta-feira, 18 de março, e teve Túlio da Silva, do Flamengo, como o grande campeão da noite. Durante o torneio, Jonathan Melo (@designsdojohn), designer e artista visual, realizou, ao vivo, uma ação de personalização da bola oficial do evento no stand da Penalty. Para a ocasião foi escolhida a Crossover Pro 7.8 na cor branca com detalhes em azul que, além contribuir para a visibilidade dos desenhos aplicados pelo designer, destacam a brasilidade que a identidade visual do evento propôs para este ano. O artista também personalizou mais oito bolas, cujos desenhos refletiram a personalidade e o estilo de jogo de cada atleta que participou da competição. 

Colecionável digital

Outra novidade apresentada durante o evento foi a venda de NFTs (tokens não-fungíveis), comercializados digitalmente pelo NBB em parceria com a Block4, fantech que cria e gerencia plataformas de colecionáveis digitais. Cada atleta que participou do Enterradas Penalty foi transformado em um card digital em 3D com arquivo criptografado e, ao clicar na arte, é possível visualizar as enterradas do atleta e alguns lances em ângulos que não foram mostrados durante a transmissão, além de estatísticas sobre a enterrada, como a altura que o atleta pulou, segundos que ele ficou fora do chão e velocidade que a bola entrou.

O colecionável digital ― que tem quantidade limitada, apenas um para cada atleta participante ― também proporciona ao comprador um pacote de ativos virtuais e reais. Além do conteúdo exclusivo da participação do atleta na competição, o fã de basquete também receberá a versão 3D exclusiva da bola Penalty utilizada no Jogo das Estrelas; a versão física da Crossover Pro 7.8 com a personalização do artista Jonathan Melo; e ingresso para as próximas cinco edições do Jogo das Estrelas.

“A Penalty quer, cada vez mais, trazer inovação e tecnologia, não só nos produtos, mas no relacionamento com o praticante e o fã de basquete. Fizemos um mix de arte, esporte e tecnologia nessa ação. Por meio do NFT poderemos levar um pouco da emoção do Jogo das Estrelas a alguém que não pôde estar presente no evento e, além de o comprador ter um ativo no mundo virtual, ele também terá uma obra de arte em sua casa, que é a bola personalizada com as características do atleta que ele escolheu”, explica Bernardo Caixeta, gerente de marketing e relações esportivas da Penalty.

Modalidade em alta

Para estabelecer um relacionamento ainda mais próximo com o público do Jogo das Estrelas, a Penalty fez outras ativações no evento: um stand com produtos para conceituação da marca; distribuição de dois cartazes com artes relacionadas à competição, feitas por Jonathan Melo, para que os torcedores pegassem autógrafo dos atletas que participaram das disputas; e o Bolão Penalty ― com 2 metros de diâmetro ― que flutuou pelas arquibancadas durante todo o evento. Já os intervalos entre as disputas contaram com o Momento Telão, que convocava para o Torcidômetro Penalty. A torcida tinha que fazer bastante barulho até atingir a meta proposta. Quando o volume chegava à altura determinada, a equipe Penalty lançava bolas Dunk e itens promocionais para os espectadores.

De acordo com Paulo Gaspar, gerente executivo de vendas e trade marketing da Penalty, a marca tem ampliado sua participação comercial dentro da modalidade, que vem conquistando cada vez mais adeptos nos últimos tempos. “Quando analisamos o 1º trimestre de 2022 e o comparamos ao mesmo período de 2019 ― desconsiderando 2020 e 2021, devido à fase mais crítica da pandemia de covid-19 ―, percebemos que a venda de bolas de basquete dobrou de volume e a participação da modalidade ganhou mais relevância dentro do segmento de bolas da companhia”, analisa.

Mais sobre o Jogo das Estrelas

A edição branca e azul da Crossover Pro 7.8 também esteve presente no Desafio de Habilidades Betmotion e no Torneio de 3 Pontos Budweiser ― que contou com mais uma versão da bola, nas cores preta e vermelha, para o tiro especial que contabilizava dois pontos ―, além de ter sido a bola oficial dos confrontos do Jogo das Estrelas, que teve o time Cablock como o grande vencedor.

Com o encerramento da edição deste ano da competição, a versão tradicional da Crossover Pro 7.8 segue como bola oficial do NBB, continuando disponível para compra no e-commerce da Penalty.


Sobre a Penalty  
Com 50 anos de história, a Penalty® é a maior fabricante nacional de material esportivo e uma das precursoras do segmento no país. A marca faz parte do portfólio do Grupo Cambuci, única multinacional de esportes do Brasil. Além de três fábricas nacionais, a Penalty® possui operações na Argentina e presença mundial, com distribuição em países da África, América do Sul e Central, Ásia e Europa. A marca é pioneira no mercado de bolas, sendo a única fabricante brasileira com certificação internacional emitida pelas três instituições máximas das principais modalidades de esporte coletivo com bola: FIFA (futebol e futsal), FIVB (vôlei) e FIBA (basquete). Site oficial da Penalty. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »