15/12/2021 às 18h24min - Atualizada em 17/12/2021 às 00h00min

Santander Brasil Ride Espinhaço: Líderes das elites repetem vitória na segunda etapa

Duplas formadas por Sherman Trezza/Lukas Kaufmann e Paula Gallan/Isabella Lacerda ganharam a segunda de cinco etapas da competição em Conceição do Mato Dentro (MG)

SALA DA NOTÍCIA Gustavo Coelho
Ney Evangelista
A segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço, realizada nesta quarta-feira (15), em Conceição do Mato Dentro (MG), com passagem pelo histórico povoado de Córregos, fundado no início do século XVIII, teve a repetição dos vencedores do prólogo nas elites masculina e feminina. Sherman Trezza e Lukas Kaufmann completaram os 50,6 km e 1.760 m de altimetria em 2h12min58, e Paula Gallan e Isabella Lacerda cruzaram o pórtico de chegada em 2h53min47. As duas duplas mantiveram as camisetas de líderes de suas categorias.

O percurso da etapa teve a primeira metade composta por estradões, o que deixou o início bastante rápido. No km 30, os atletas enfrentaram a serra principal da etapa, para em seguida descerem em trilhas de single track (estreitas). No km 26, Sherman e Lukas lideravam com 1min16 de vantagem para Ricardo Pscheidt e Leandro Donizete, seus principais perseguidores. Ao final, conseguiram aumentar a vantagem para 7min28segundos em relação a Ricardo e Leandro, que concluíram a etapa em 2h20min26 em segundo lugar. Carlos Henrique Paixão e Marcus Silva fecharam o pódio, em 2h21min55, na terceira posição.

"Etapa rápida, porém mais difícil do que eu esperava. O terreno estava pesado e tivemos um sobe e desce o tempo todo. A serra também foi bem difícil", comentou Lukas. "Foi uma etapa que favoreceu nossa dupla, porque estamos com técnica e fluidez boas. Estamos nos surpreendendo com a forma que estamos apresentando após competirmos intensamente na Santander Brasil Ride Bahia, há pouco mais de um mês e pelo fato de o Sherman ter sofrido uma forte queda há duas semanas. Estou feliz demais por tudo isso", completou Lukas.

"O início foi rápido e simples, com apenas uma descida mais difícil porque estava bastante liso o terreno. A parte de sobe e desce era para ser mais tranquila, mas pelo excesso de lama foi realmente duro. No km 30, chegamos bem desgastados. Lukas e eu gostamos de andar nessas condições. Descemos um trecho técnico, com muita lama, e depois veio a subida final para chegar na arena. Abrimos uma boa vantagem nesse trecho final, cumprindo muito bem o planejamento traçado", revelou Sherman.

Agora, Sherman e Lukas tem a camiseta amarela com o tempo acumulado 2h56min28, contra 3h05min55 de Ricardo e Leandro, que ocupam a primeira colocação na disputa das Américas. O terceiro lugar no top 3 agora é de Carlos Henrique Paixão e Marcus Silva, com 3h09min55. João Paulo Firmino e Diogo Malagon ocupam a quarta posição, com 3h13min50, enquanto o português David Rosa e Vitor Bento estão em quinto, com o total de 3h14min09.

"Foi uma etapa dura, porque a chuva e o barro deixaram tudo mais pesado. O ponto alto foi a descida da trilha no final, muito bem feita. Foi o mountain bike raiz mesmo. Um dia bem legal, que com certeza agradou a todos", comentou Ricardo Pscheidt. "Etapa foi rápida e agitada no início. Tivemos uma primeira subida e na descida estava bem liso, ou seja, o pelotão se quebrou e em seguida reconectou-se. Daí para frente, ritmo alto, sempre com cuidado em termos físicos e de equipamento. Lama, barro, mas terminamos bem e seguimos em segundo lugar no geral", contou Leandro Donizete.

Elite feminina - Entre as mulheres, o enredo foi parecido. Paula Gallan e Isabella Lacerda não foram incomodadas por suas adversárias e lideraram na passagem do km 26. Ao final do dia, cruzaram a linha de chegada em 2h53min47, para ganhar outra etapa, com lugar de Marcella Toldi e Fabiana Brandao outra vez na segunda colocação, em 2h54min17. Letícia Cândido e a alemã Naima Diesner fecharam o top 3, em 3h01min51, repetindo o pódio do primeiro dia na elite feminina. 

"Etapa dura. Muita lama, ou seja, deixando o terreno pesado. A prova exigiu muita força, por isso estamos bem felizes com a vitória. Entregamos tudo que podíamos", resumiu Isabella. "Estamos respeitando uma a outra, com a sintonia boa. Isso que é importante em uma prova como a Santander Brasil Ride. A Paula é bem forte e estou feliz de estar com ela. Vamos dar o nosso melhor para segurarmos esta camiseta de líder até o sábado (18), último dia de competição", avaliou Isabella.

"Fiz força do começo ao fim. Minha parceira me ajudou bastante, porque sofri demais. Muitas subidas duras, trilhas incríveis. O percurso molhado dificultou, mas isso é o mountain bike. Por todos esses motivos, fico muito feliz com mais essa vitória aqui em Conceição do Mato Dentro", completou Paula, que lidera ao lado de Isabella com 3min42 de vantagem para Marcella e Fabiana, donas da camiseta azul de líderes das Américas. Letícia e Naima correm por fora na disputa do título, com 14 minutos de desvantagem para as donas da camiseta laranja.

Tiago Ferreira segue liderando a solo - O português Tiago Ferreira segue na primeira colocação da categoria solo, novidade no circuito da Santander Brasil Ride quando o assunto é ultramaratona. Com o tempo acumulado de 3h10min28, Ferreira tem o quarto melhor tempo entre todas as equipes de bicicletas não assistidas.

"Diferente do prólogo, de apenas 16 km, sabia que nesta etapa deveria dosar melhor o ritmo. Nos primeiros 30 minutos consegui ir com os ponteiros, mas aí senti que estava completamente fora de condições físicas para acompanhá-los. Assim, procurei um pelotão para me encaixar e procurei apenas desfrutar das trilhas. O terreno estava pesado, com lama, mas foi possível aproveitar o pedal", comentou Ferreira, ciclista que acumula os títulos de campeão mundial e de bicampeão europeu.

Bruske e Ribeiro lideram na e-bike - Assim como ocorreu nas elites masculina e feminina, na disputa das e-bikes Erick Bruske e Isabella Ribeiro também repetiram o triunfo da primeira etapa. "Etapa estratégica, por conta da administração de bateria. Pegamos bastante lama e nos separamos bem dos atletas que não tinham bikes elétricas. Abri vantagem logo no início, que era o que eu gostaria de fazer. Por conta das condições climáticas, cuidar do equipamento era a principal preocupação. Tínhamos que nos adaptar bem na pilotagem e o mais difícil ficou para o final, onde consegui abrir a maior vantagem na liderança", contou Bruske.

Top 5 das elites no dia:

Masculina
1-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 2h12min58
2-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 2h20min26
3-Carlos Henrique Paixão/Marcus Slva - 2h21min55
4-David Rosa (POR)/Vitor Bento - 2h25min20
5-João Paulo Firmino/Diogo Malagon - 2h25min40

Feminina
1-Paula Gallan/Isabella Lacerda - 2h53min47
2-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 2h54min15
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 3h01min51
4-Julyana Rodrigues/Sabrina Gobbo - 3h16min48
5-Renata Spindola/Miriam Shimada - 4h08min27

Top 5 acumulado das elites:

Masculina
1-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 2h56min29
2-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 3h05min55 
3-Carlos Henrique Paixão/Marcus Slva - 3h09min55
4-João Paulo Firmino/Diogo Malagon - 3h13min50
5- David Rosa (POR)/Vitor Bento - 3h14min09

Feminina
1-Paula Gallan/Isabella Lacerda - 3h49min40
2-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 3h53min23
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 4h03min47
4-Julyana Rodrigues/Sabrina Gobbo - 4h18min45
5-Bárbara Domingues/Gabriela Vasconcelos - 5h26min41

Transmissão ao vivo - A Santander Brasil Ride Espinhaço conta com exibição diária do programa Brasil Ride Stage News, contando as novidades do dia a dia da competição no município mineiro. Sempre às 19h, os amantes do esporte podem se informar sobre o evento, nos canais do Facebook e do YouTube da Santander Brasil Ride.

Maior premiação do ciclismo nacional - A Santander Brasil Ride Espinhaço já chega ao calendário elevando a outro patamar o ciclismo nacional. Com mais de 140 mil reais de prêmios em dinheiro, o evento ofertará a maior premiação do Brasil na história deste esporte, que é um dos que mais cresce no País e no mundo. Seguindo os padrões do circuito da Santander Brasil Ride, mulheres e homens terão premiação igual na prova. E para o ciclista amador (não federado) que fizer a melhor volta na etapa do XCO, um capacete de Henrique Avancini será ofertado como prêmio extra.

Encerramento com chave de ouro - Disputa marcada para o sábado (18), a Maratona do Cipó será responsável por encerrar com chave de ouro a ultramaratona, com um percurso de 53,6 km e 1.720 m de altimetria acumulada na sua prova principal. Quem optar por um desafio menos intenso, pode se inscrever na categoria tour, com 16,5 km de extensão e 470 m de desnível altimétrico.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Como você avalia nosso conteúdo?

56.4%
25.1%
10.6%
7.9%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp